segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Resenha - Adeus professor, Adeus professora?

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, Adeus Professora? Novas tecnolo-
gias educacionais e profissão docente. / José Carlos Libâneo, 4.ed. – São /
Paulo: Cortez, 2000 – (Coleção Questões da Nossa Época; v. 67 )

Iane Margareth Teixeira Fernandes Abreu
*


Adeus professor, Adeus Professora? Novas exigências educacionais e profissão docente é um livro escrito por José Carlos Libâneo. Nessa obra, o autor analisa, com competência e objetividade, os requisitos básicos para que os novos profissionais da educação possam ser inseridos no mercado de trabalho com competência e habilidade. O livro estruturalmente está dividido em 3 capítulos, cada capítulo sub-dividido em temas. O autor narra os fatos na Ciência da Razão Temporal, numa concepção Crítico-Dialética entre o concreto e o abstrato, em uma abordagem Crítica-Social dos conteúdos, em que os objetivos de conhecimentos são relacionados com outros fatos e fenômenos da realidade, isto é, contextualizar um tema com a prática da realidade.. Nessa perspectiva dialógica , Libâneo evidencia suas idéias sobre as novas exigências educacionais para os professores, fomentando as reflexões que cada professor deverá incorporar para acompanhar as mudanças. Cabe ao professor assumir a mediação das interações professor-aluno-tecnologia de modo que o aluno possa construir o seu conhecimento em um ambiente desafiador, em que os professores com as novas tecnologias possam desenvolver a autonomia, criatividade, criticidade e auto-estima dos alunos.
O primeiro capítulo intilulado: Profissão Professor ou Adeus Professor, Adeus Professora? Exigências educacionais contemporâneas e novas atitudes docentes, está dividido em três temas. Neste capítulo Libâneo aborda que estamos vivendo uma crise em todos os setores nesta sociedade denominada pós-moderna, dos mais complexos paradigmas da era da globalização; envolvendo ciência, técnica e tecnologia, marcada pelos avanços na comunicação e na informática e por outras tantas transformações tecnológicas e científicas, provocando profundas mudanças econômicas, sociais, políticas, culturais e também educacionais. E para que possamos ser inseridos nesta nova sociedade é preciso criar uma nova escola que realmente possa aceder à informações, conhecimentos e valores que a Sociedade da Informação e do Conhecimento nos trouxe de forma galopante. Neste contexto dialético é que Libâneo evidencia a importância do Professor como peça fundamental importância para a mediação, articulação, socialização e sistematização dos conhecimentos, na internalização dos saberes.
É preciso que este novo professor que ora surge possa atender estes novos tempos com uma: sólida formação cultural; capacidade de aprender a aprender; estar aberto às mudanças; competências para saber agir; habilidades comunicativas; domínio de linguagens informacional; habilidades de articular as aulas, levando os alunos à terem capacidade de interpretar e intervir na realidade, tendo como princípio do trabalho a pesquisa na educação com o uso de livros, revistas, jornais, cd-rom e a Internet como um Eldorado desta nova era, em conexão com as mídias e as multimídias; capacidade de empreender; domínio da informática e outros idiomas. Libâneo aborda de modo crítico e reflexivo um conjunto de atividades de aprendizagem profissional, social e cultural para a inserção deste novo professor que essa escola o exige; em que estas características são pertinentes à esse profissional atuar na era da globalização.
O segundo capítulo denominado: As novas tecnologias da comunicação e informação, a escola e os professores, está subdividido em 3 temas. Neste capítulo o autor faz uma reflexão pedagógica, em que a Educação e a Comunicação sempre andaram juntas, mas não são as mesmas coisas. Nesta sociedade globalizada, vivenciada com este novo paradigma no setor educacional, com os meios de informação e comunicação, denominada Novas Tecnologias da Comunicação e Informação – NTCI – provocou uma mudança muito rápida nas escolas e os professores têm resistido às novas tecnologias por vários fatores. Diante desta complexidade é preciso que nós professores saímos da mesmice em que nos encontramos, acompanhando as mudanças tecnológicas para que possamos ser cidadãos informatizados e conscientizados nas novas tecnologias da informação e da comunicação, e que realmente façamos a diferença com a educação. A escola hoje é de perspectiva, afinal vivemos e percebemos o mundo hoje de forma dialética, em profundas mutações e mudanças, é preciso que os professores quebrem os velhos paradigmas, busquem a inovação, a criatividade, a iniciatividade, a criticidade, motivem seus alunos, permita um ensino de excelência em que possa dar oportunidades à todos alunos desenvolverem suas potencialidades; como alguns professores já estão fazendo, tornando o ensino atrativo e de qualidade, é preciso a conscientização de uma nova maneira de ensinar, uma postura pedagógica, que deve levar os alunos a descobrir, investigar, discutir, interpretar e raciocinar. Para essa nova maneira de ensinar Libâneo propõe aos professores uma nova postura pedagógica de trabalho, na qual os conteúdos, conectados a uma problemática do contexto social, político ou econômico da criança, desenvolvem-se através de Projetos de Trabalho, significando uma mudança de postura, uma outra maneira de repensar a prática pedagógica e as teorias que a embasam.
Segundo Lúcia Helena Alvarez Leite
[1], o estudante no Trabalho com Projetos, aprende participando, formulando problemas, tomando atitudes diante dos fatos, investigando, construindo novos conceitos, informações e escolhendo os procedimentos quando se vê diante da necessidade de resolver questões.
Portanto, para Libâneo é preciso que os professores realmente integrem à esta Sociedade da Informação e da Comunicação de forma que possam fomentar uma reflexão crítica e questionadora em busca de novas competências e habilidades ligadas à produção social, em que a escola convencional, de quadro e giz, não tem mais espaço nesta Sociedade Informacional. Neste capítulo Libâneo aborda de forma significativa: - as necessidades de adaptar-se ao novo paradigma; a multiplicidade dos meios de Comunicação na Sociedade Informacional e a morte da escola; - o uso da tecnologia informática na escola e a substituição da relação docente; - o impacto das NTCI na escola e a pouca receptividade dos professores em relação à essas inovações tecnológicas.
O capítulo três, intitulado: Sobre a qualidade de ensino e sistema de formação incial e continuada de Professores subdividida em 3 temas. Libâneo faz uma exposição crítica de que ao introjetarmos nesta nova sociedade neoliberal, muitos ficarão excluídos, ficarão à margem do processo educacional, uma vez que, a proposta de procura é maior que a oferta. Segundo ele é urgente que o professor assuma com dignidade e fidedignidade os requisitos profissionais e éticos para a otimização do ensino/aprendizagem, se não assumir com compromisso e competência aos novos requisitos: estarem continuamente em uma boa formação continuada do professor, que se realiza na articulação entre a exploração da tecnologia computacional, a ação pedagógica com o uso do computador e as teorias educacionais, elevando o nível de cultura e informações.. Este professor ressurgirá com mais vigor, competência e habilidades, pois sendo um professor mediador deverá gerar e gerir suas idéias, concectando-as rapidamente às mudanças; tornando o ato de ensinar e o processo de aprender dinâmico, eficaz e interessante, que respeite as diferenças culturais existentes nos alunos, tendo a capacidade de incorporar às mudanças tecnológicas, tomando decisões, resolvendo os problemas, encarando os desafios, trabalhando com seus alunos em equipes de forma interdisciplinar e contextualizada pois, agora a escola é para a vida, serão as competências, qualidades, valores e habilidades que irão determinar o sucesso ou o fracasso desta nova geração.
Esta obra é grande relevância para a educação, pois discute os requisitos que a Sociedade da Informação e da Comunicação transforma a estrutura da escola e da sala de aula, como espaço privilegiado do saber, demandando uma postura de trabalho pedagógico dos professores para que possam acompanhar e transformar esta escola que está apática, desmotivada, descontextualizada da Sociedade. Nesta obra de Libâneo , ele aborda com objetividade a construção de um novo ambiente de aprendizagem e articulador do saber, o grande desafio de hoje é integrar conscientemente, criativamente, criticamente a escola, professores e alunos no universo da Sociedade globalizada.
Parabenizamos Libâneo por esta grandiosa obra que trouxe à educação, constatamos que a rápida evolução tecnológica nos leva a situações inovadoras, que visa requalificar toda a sociedade, principalmente o professor que prepara crianças, jovens e adultos para as novas competências e habilidades para a inserção dos mesmos nesta “Sociedade da Informação” movidas pela Revolução das Novas Tecnologias da Comunicação e da Informação.
Como diz Valente
[2]:
“A presença de novas tecnologias no setor educacional requer profundas modificações frente às exigências de competitividade que marca o mercado globalizado, tornando imperativa uma transformação qualitativa em termos de formação e preparação do aluno, (re) qualificação do professor e atualização do currículo escolar. Para vencer tal desafio do mundo contemporâneo, o educador precisa ser e formar profissionais capazes de estabelecer uma linha de equilíbrio entre as exigências de uma nova sociedade cada vez mais tecnológica e a premência humana por encontrar em si e na vida, uma significação mais profunda que possa diferenciar o papel do homem e o papel da máquina com a visão de complementação e não de substituição.”




* Mestranda em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Guanambi-Bahia.
[1] Artigo sobre Projetos de Trabalho: Técnica de ensino ou postura pedagógica. Publicada no Caderno da TV ESCOLA, nº 03/1998.
[2] VALENTE, José Armando (org). Computadores e conhecimento: repensando a educação. Campinas-SP. Gráfica Central da Unicamp, 1993, p.26

Um comentário:

  1. Parabéns pela resenha. Acredito que Libaneo é um autor que deve fazer parte da nossa biblioteca.
    As reflexões de Libaneo, destacadas no segundo capítulo,seriam bem vindas em nossas discussões.
    Parabéns!
    Alzira Ferreira

    ResponderExcluir